21 de dez de 2009

por que defender os animais?

O que pensam os animais? Esta é uma questão que permeia várias discussões entre cientististas, artistas, médicos, psicólogos, cineastas e, claro, os protetores dos animais.

Para o último grupo, não há dúvidas de que os animais são tão, ou mais, sensíveis que nós, seres humanos.

Vamos falar um pouco sobre isto? Voluntários para responder:

Por que defender os animais ou por que não defender os animais?

11 comentários:

  1. "Defender os animais" é um tema interessantíssimo, sobretudo porque pode ser cruzado com diversas disciplinas e fontes de estudo (biologia, medicina, direito, filosofia, economia e por aí vai...).

    O direito dos animais-que-não-deliberam-sobre-si-e-o-mundo (todos seres vivos, exceto o homem), está diretamente vinculado ao direito dos homens.

    Não haverá equilíbrio para os "animais" enquanto não houver para o homem e vice-versa.

    O grande impasse é o nosso modelo mental, pautado no modelo capitalista de produção e consumo, em outras palavras, de exploração e desigualdade social.

    Enquanto não superarmos esse modelo, tanto nós quanto os "animais" continuaremos a ser mera mercadoria dentro do atual sistema, onde a lógica do lucro e do acúmulo ditam as regras.

    Um exemplo: a criminosa matança de baleias no Japão e na Noruega, sob a regência do capitalismo neoliberal.

    Em tempo: PARABÉNS PELA INICIATIVA DO BLOG.

    Rafa Campoy

    ResponderExcluir
  2. O presente postulado é um tema que permeia nosso âmbito de vivência diariamente. Basta sabermos observar.

    Por que defender os animais?
    A simplista resposta: porque eles não podem se defender diz muito. Ora, o discurso humano é pautado na linguagem que nos cerca, nos corta. Sob qual linguagem, ou melhor, sob qual discurso que vivemos? O discurso capitalista. É cabível citar parte do comentário acima:

    "Enquanto não superarmos esse modelo, tanto nós quanto os "animais" continuaremos a ser mera mercadoria dentro do atual sistema, onde a lógica do lucro e do acúmulo dita as regras."

    Pois bem, as regras que ditam nosso modelo sugerem imperiosamente e impiedosamente a desigualdade e isso não é balela ideológica, basta observarmos o que anda acontecendo no mundo.

    Defender os animais, abdicar do consumo de carne, é antes de tudo ir à contramão do pensamento demasiado individual e egoísta (no sentido coloquial de seu uso). É saber e NÃO ocultar que seres vivos, dádivas da vida, da Terra, de Deus se preferir, são cruelmente explorados e mortos pelo "bem estar" humano. É não fechar os olhos para as lágrimas diárias que bovinos, caprinos, suínos soltam antes de serem abatidos nos matadouros do mundo afora. É ter consciência que o desenvolvimento humano é hiper, contudo a devastação que traz consegue é sem precedentes na História do evolucionismo do nosso planeta.

    E por fim, utilizar um animal indefeso para entreter os humanóides à custa do seu sofrimento, privá-lo da liberdade de escolha pela vida, vê-lo suplicar e não se comover numa espécie de "obliteração racional", é antes de qualquer coisa uma atitude perversa e que reflete o agouro pernicioso e apocalíptico para o qual nós homens estamos caminhado dia após dia, lágrimas após lágrimas, cadáver consumido após cadáver consumido.

    Parar. Re-pensar certas atitudes e condutas seria extremamente válido. Se não pelos animais, pela VIDA.

    ResponderExcluir
  3. Só para acrescentar:

    EXCELENTE tema para mestrado e EXCELENTE iniciativa.

    Eu disse, disse e disse e sempre falta alguma coisa rsrsrs é a sina de sermos seres faltantes, todavia estou comentando agora para dizer que adicionei seu blog no meu de poemas de minha autoria:

    www.malentacchi.blogspot.com

    =)

    ResponderExcluir
  4. Oi! Parabéns pelo Blog. bjOOs. Roberta

    ResponderExcluir
  5. Thiago da Silva Schueler28/12/2009 00:47

    Bom, eu diria que a questão da defesa dos animais é muito complexa, porque, no meu ponto de vista, está fincada profundamente em questões metafísicas (como toda questão ética).

    Escrevendo como alguém que admite a parcialidade de sua opinião: sou favorável à defesa dos animais porque essa defesa é mais provável de estar em conformidade com aquilo que a consciência - supostamente livre - precisaria fazer (no sentido de "atuar") para atingir uma suposta situação de mérito que lhe proporcione a felicidade do que a indiferença no agir em relação a essa defesa; e isso porque
    os ideais "faça ao outro aquilo que você gostaria que o outro lhe fizesse" e "não faça ao outro aquilo que você não gostaria que o outro lhe fizesse" surgem à minha experiência existencial como as formas de agir e não-agir que são as mais prováveis de satisfazer às exigências éticas da consciência supostamente responsável perante um suposto poder metafísico que regeria as atribuições de mérito a cada consciência e regeria também a concessão de felicidade a essa consciência.

    Estou totalmente aberto a pedidos de esclarecimento e troca de ideias.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Maurício Sakeus Paiva02/01/2010 23:07

    Todos os animais têm o mesmo direito dos humanos de habitarem o planeta. Aliás, tudo estaria em pleno equilíbrio, não fosse a ação do homem. O ser humano se acha superior e com direito a dominar e explorar a natureza e os animais, sempre em benefício próprio ou interesses econômicos, mas no fundo, o que tem feito com toda a sua "sabedoria" e arrogância é destruir o local onde habita, literalmente cuspindo no prato onde come. Quem não respeita o direito dos animais, não respeita o planeta e normalmente apresenta desvios de comportamento com os da própria espécie, conforme já foi demonstrado em vários estudos de desvio de personalidade. Defender os animais é defender a natureza e o direito à existência de outras espécies, que não apenas a do ser humano e é tão importante quanto qualquer outra causa humanitária.

    ResponderExcluir
  7. Pq Jão-Jão é 1 semovente felino q ninguém queria. Q qd veio para minha casa e vidinha, me fez 1 ser humano muito melhor, pq sou + feliz!
    Faço q o posso. Não é a meta principal da minha existencia, mas me esforço em divulgar a causa, ajudar quem precisa e espalhar esse amor.
    Quem tem 1 pet sabe o qt esse amor é inexplicável e único.
    Com quase 40 anos, um mundo novo e de amor se abriu.
    E sou feliz todos os dias!

    ResponderExcluir
  8. Devemos sim defender, mas como?
    Discursos vazios como "que os devoradores de cadáveres morram" não defende, mas piora.
    Eu acredito que mais vale um passo de cada vez, bem fincado, real e garantido, que um "ou tudo ou nada" infantil que só empurra com a barriga o problema.
    Vejo um avanço quando vejo fazendeiros optarem por uma fazenda de leite orgânica, fazendo os animais viverem soltos, aproveitarem o esterco para fertilizar a plantação em vez de agrotóxico, entendendo que o contato com as vacas fazem elas darem até leite melhor.
    Resumindo, Sei de fazendeiros que, por adotarem isso, mesmo que primeiramente por lucro por vender um produto mais caro e por não se preocupar mais com agrotóxicos e outros químicos, tendo uma fazenda autosustentável com biodiversidade (simple is best), alguns, por causa desse contato, conseguiram até deixar de comer carne, já que os animais deixaram de ser inanimados.
    Vejo coisas assim como passos, caminhos possíveis que podem dar uma vida melhor, dentro da possibilidade, da realidade de hoje. Outros passos virão.
    Mas tristemente, uma discussão como essa é heresia, é defender o abuso contra animais e nada muda, mantem-se as fazendas de corte então...

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Uma pessoa por mais sofrida ou injustiçada que seja, consegue procurar ajuda ou buscar mudar sua situação.
    Os animais sofrem calados, sofrem sem poder mudar a própria situação.
    Infelizmente as pessoas estão alienadas pela mídia e vivem em um mundo de fantasia.

    ResponderExcluir
  11. Eu, pessoalmente, luto como posso pelos animais porque os amo, mas é um amor diferente: não amo MEUS gatos, amo TODOS os gatos. Não há sentimento de posse nesse amor, acho que é o verdadeiro amor. Mas, independente disso, defendo os animais porque não vejo diferença entre o respeito merecido por uma pessoa, e por outro animal que não é humano.
    Vivemos numa Matrix, e a grande maioria das pessoas está adormecida.
    Pense bem, só o ser humano nasceu "para ser feliz"? Afinal, o sol nasceu para todos, não é mesmo ? Então por que o bezerrinho tem que, ao sair da barriga da mãe, ser preso num buraco escuro qualquer, sem conhecer o sol, sem poder se mover, sendo alimentado para ter anemia e diarréia crônicos, para ser assassinado sabe-se lá como, e virar "baby beef"?
    É imoral, indecente, nojento, para dizer pouco. Os animais estão à mercê da ganância humana, da busca cega pelo prazer e todos deveriam fazer o possível para protegê-los.
    Acabei até fazendo um desabafo.
    Abraços

    ResponderExcluir